Template Tools
Sabato, 27 Novembre 2021
BW Biosphere World PDF Stampa E-mail
Valutazione attuale: / 0
ScarsoOttimo 
Notizie - Brasile
Martedì 19 Ottobre 2021 16:13
 

Sobratema



Aumento de produtividade aliado à preservação ambiental é o caminho para o agro brasileiro ampliar o fornecimento e exportação de seus produtos


 




Para atender o contingente de habitantes do planeta, estimado em 9,5 bilhões de pessoas pela Organização das Nações Unidas (ONU), será necessário ampliar a produção de alimentos e a FAO espera que o Brasil supra 60% deste incremento. “O agro brasileiro terá um papel fundamental nesse processo ao se transformar em um grande supermercado, fornecendo produtos seguros e nutritivos a bilhões de pessoas e, ao mesmo tempo, ajudando a nação em seu desenvolvimento”, avaliou o engenheiro agrônomo Francisco Beduschi Neto, Líder da National Wildlife Federation (NWF) no Brasil, durante o BW Talks Produzir alimentos e preservar biomas é igual a negócios sustentáveis, promovido no dia 14 de outubro.

Para atender esse objetivo de alimentar o mundo, o agro brasileiro precisará aumentar ainda mais sua produtividade, como por exemplo, na pecuária, cujo potencial estimado de produção é entre 10 a 12 arrobas/hectare/ano. Atualmente, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a média nacional está em torno de 3 a 4 arrobas/hectare/ano no país enquanto que o Mato Grosso, em 2020, chegou à 4,6 arrobas/hectare/ano.

“Tenho a certeza de que é possível produzir muito mais por hectare na pecuária, devido ao empenho, experiência e conhecimento dos pecuaristas brasileiros. Mas, será fundamental trabalhar alguns aspectos, como a recuperação de pastagens degradadas, a melhoria na nutrição animal por meio da suplementação à pasto, o bem-estar animal, com técnicas sustentáveis de manejo, e incorporação em larga escala dos ganhos genéticos já alcançados pelo setor”, explicou Beduschi. Ele ainda acrescentou que a produtividade também está ligada à necessidade de assistência técnica, não apenas na hora para reformar os pastos mas durante o ciclo de produção (manejo, adubação, entrada e saída dos animais no pasto), e de investimento, estimado em R$ 6 a R$ 9 mil por hectare, dependendo das necessidade da propriedade e de capital de giro.

Somada à questão da produtividade, há também outro ponto crucial para a exportação de produtos agropecuários nas próximas décadas: a preservação ambiental. “Cada vez mais, as nações têm buscado implementar uma legislação mais rígida para a compra responsável de commodities, proteínas em geral e alimentos”, ressaltou Beduschi, no evento online do Movimento BW, iniciativa da Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração (Sobratema). Dois exemplos são a China, por meio da Associação de Carnes da China (CMA), que divulgou novos critérios nessa área; e dos Estados Unidos, que começam a discutir uma legislação mais rigorosa, com apoio de multinacionais de alimentos. 

Ainda nesse tema, o consumidor brasileiro também está seguindo por esse mesmo caminho, exigindo produtos mais sustentáveis. Por isso, o Líder da NWF no Brasil alertou que o agronegócio deve estar atento a esse cenário para atender as demandas estabelecidas por seus compradores.

“O setor tem total condições de cumprir com sua missão de fornecer alimentos seguros e nutritivos para a população, preservando o meio ambiente, ou seja, sem qualquer ocorrência de desmatamento de biomas, de empobrecimento de solos ou de queimadas. Aliás, nosso potencial é muito grande para ter um balanço favorável de carbono na produção, e para reduzir a pegada hídrica”, comentou Beduschi.

Contudo, ele ponderou que é preciso dar mais celeridade a esses dois aspectos e, ao mesmo tempo, comunicar o que está sendo feito no país. Para isso, a rastreabilidade é fundamental uma vez que oferece ao mercado informações confiáveis sobre a origem daquele produto até a gôndola do supermercado. “O mercado não quer perfeição, quer ver o progresso! E, o Brasil possui uma base de dados cadastrais que pode ajudar a dar mais clareza sobre todo o caminho percorrido pelo alimento ou produto, além de ele ter o potencial de se tornar um ativo financeiro para o setor”, destacou.

Por fim, ele citou ainda a importância de viabilizar o Prodes (Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite) para todo o território nacional, começando pelo cerrado, e que a transparência deve nortear o planejamento das empresas ligadas ao agro.

O BW Talks Produzir alimentos e preservar biomas é igual a negócios sustentáveis está disponível no site oficial do Movimento BW.


Assessoria de Imprensa:

Mecânica de Comunicação

Mecânica Comunicação Estratégica
Tels.: (11) 3259-6688/1719
E-mail.: Questo indirizzo e-mail è protetto dallo spam bot. Abilita Javascript per vederlo.

 

Ultime Notizie

Serviço de Atendimento ao Campo
  Produtor Rural já tem um Serviço de Atendimento ao Campo Com o... Leggi tutto...
8º Congresso Brasileiro de Fertilizantes
    8º Congresso Brasileiro de Fertilizantes Desequilíbrio... Leggi tutto...
8º Congresso Brasileiro de Fertilizantes
  Ministra Tereza Cristina participa da abertura do 8º Congresso... Leggi tutto...
BW Works
  Movimento BW disponibiliza ferramenta da EBP Brasil para autoanálise... Leggi tutto...

Rivista La Gazzetta

 
Edizione 41
La Gazzetta 41
 

40 | 39 | 38 | 37 | 36 | 35 | 34 | 33 | 32

31 | 30 | 29 | 28 | 27 | 26 | 25 | 24 | 23

22 |